CAMPINAS-SP: TRABALHADORES DO POSTO 3 VIAS RECEBEM HOJE CURSO SOBRE OS RISCOS DO BENZENO

O Sinpospetro- Campinas, em parceria com o Sindimed-Sindicato dos Médicos de Campinas e Região, promove durante todo o dia de hoje (25), no Auto Posto 3 Vias, em Campinas, Curso de Prevenção à Exposição Ocupacional ao Benzeno aos 40 trabalhadores do local.  A atividade ocorrerá nos turnos da manhã e da tarde, e ficará a cargo dos médicos sanitaristas, Dr. Pedro Tourinho, vereador em Campinas (PT) e a Dra. Ellen Machado Rodrigues, médica do Cerest – Centro de Referência em Saúde do Trabalhador – Campinas-SP.  A ação, de iniciativa do Secretário de Saúde e Segurança do Trabalho da Federação Estadual da categoria – Fepospetro, Raimundo Nonato de Sousa, (Biro) tem por objetivo alertar e trabalhadores do riscos da exposição ocupacional ao benzeno, substância cancerígena contida na gasolina, a qual os frentistas estão expostos diariamente. O benzeno contamina o trabalhador pelo contato direto ou pelo ar, e pode ocasionar irritação nos olhos, vômitos e náuseas, dentre outros problemas de saúde. Em dezembro, receberam o curso  os 70 trabalhadores do Auto Posto Trevo, em Campinas-SP. Segundo “Biro”, a ideia é transformar  o curso numa agenda, e levá-lo aos demais postos de combustíveis das 28 cidades da base territorial do Sinpospetro Campinas. “O trabalhador sem treinamento para lidar com produtos tóxicos como a gasolina, sofre mais risco de contaminação pelo benzeno“,  diz o sindicalista.

PRESERVAR A SAÚDE DOS FRENTISTAS É BANDEIRA DE LUTA DA CATEGORIA DE TODO O PAÍS

O benzeno é uma substância cancerígena contida na gasolina, a qual os frentistas estão expostos diariamente. O produto pode ocasionar irritação nos olhos, vômitos e náuseas. O benzeno contamina o trabalhador pelo contato direto ou pelo ar. O simples fato de trabalhar no posto de combustível já implica numa exposição ao produto tóxico. Como parte das constantes ações em preservar a saúde dos trabalhadores, a categoria de todo o país segue mobilizada em aprovar, em suas localidades, a proibição da prática do abastecimento veicular além do limite do automático. A medida, que colabora para diminuir a exposição respiratória e cutânea do trabalhador ao benzeno, já é realidade nos estados de Santa Catarina, Paraná, Rio de Janeiro, e em várias cidades do estado de São Paulo e de Minas Gerais. Em  São Paulo tramita projeto de lei semelhante. A proposta é do Deputado Estadual Marcos Martins (PT).
Assessoria de Imprensa Sinpospetro Campinas-SP – Leila de Oliveira

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *