Câmara de Campinas aprova moção de ‘apelo’ em busca de vacinas contra Covid para trabalhadores essenciais

Texto  aprovado  será enviado ao Governador do Estado de SP, João Dória; Essenciais na pandemia, frentistas somam cem mil  mil trabalhadores no estado

Em apoio à iniciativa,  que reforça a luta dos frentistas de todo o Brasil por vacinas, o  presidente do Sindicato dos trabalhadores em postos de combustíveis de Campinas e região,  Francisco Soares de Souza, se reuniu na tarde desta quarta-feira (31),  na sede da entidade,  com o vereador Permínio Monteiro (PSB). Ele é o  autor da  moção, já aprovada pela Câmara Municipal,   que  apela ao Governo do Estado de SP para que inclua no grupo prioritário de imunização contra  a Covid-19 todos os profissionais que trabalham em serviços considerados essenciais no Plano São Paulo durante a Pandemia, e que ainda não foram contemplados com a vacina.

“Os frentistas realizam uma atividade fundamental para a população, estando cotidianamente expostos ao vírus; Quem atua no combate à Pandemia depende do atendimento do trabalhador em postos de combustíveis”, pontuou    Francisco  Soares.  Ele também explicou  ao vereador que  pretende encaminhar  a moção para os cinquenta  sindicatos dos frentistas de todo o país. O objetivo é que o documento ajude a fortalecer a luta pela vacinação dos frentistas.
Como parte dessas ações, os dirigentes das Federações nacional e estadual da  categoria já estiveram reunidos  com o secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo,  Coronel Álvaro Batista Camilo, e também em Brasília-DF, com o Chefe da Casa Civil, Sérgio Pereira.  Em São Paulo, além de cobrar que os trabalhadores em postos de combustíveis tenham prioridade na vacinação contra a Covid-19, os sindicalistas entregaram ao representante do governador João Dória (PSDB) uma cópia do Pacto setorial de protocolos de segurança em saúde, assinado por ambas as federações, os patrões e procuradores do Ministério Público Federal em junho de 2020. Em  Brasília-DF, entre outras ações,  ambas as entidades protocolaram,  junto ao Ministério da Saúde, pedido  de prioridade de vacinação para os frentistas, categoria que  soma cerca de 500 mil trabalhadores em todo o Brasil.

*Leila de Oliveira

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *