Frentistas de São Paulo se organizam para campanha salarial

Os trabalhadores frentistas do estado de São Paulo estão preparando a campanha salarial deste ano, dialogando com a categoria e cumprindo as Assembleias de discussão da pauta de reivindicações.
A negociação deste ano, que abrange cem mil frentistas com data-base em 1° de março, envolverá cláusulas econômicas como reajuste salarial, aumento do vale-refeição e do valor das horas-extras, e também social, como a composição da cesta-básica, valor do seguro de vida e do auxílio- funeral, além vale-transporte 100% gratuito.
Após o encerramento das assembleias, os dezoito sindicatos do estado trabalharão na consolidação das demandas em uma única pauta. Uma reunião está agendada para a próxima terça -feira, dia 25, na Federação dos Frentistas de SP (FEPOSPETRO), entidade que unifica a negociação.
De acordo com Luiz Arraes, presidente da Fepospetro e do Sinpospetro de Osasco-SP, a campanha deverá ser pautada pela busca da recuperação do poder de compra dos salários, que se encontram defasados diante do crescimento da inflação, e pela manutenção dos direitos.
Arraes explica que após a reunião do dia 25, o documento unificado será protocolado pela Fepospetro junto ao Sincopetro, que congrega os demais representantes patronais, RECAP, Resan e Regran. A entidade fica no bairro Perdizes, em São Paulo, e é onde ocorrerão as rodadas de negociação. “A categoria dos frentistas, apesar da pandemia do coronavírus, e da política de destruição de direitos do governo Bolsonaro, não parou de trabalhar, e precisa ser valorizada, com reajuste salários e condições dignas de trabalho”, lembra Luiz Arraes.
*Leila de Oliveira

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *