Sinpospetro Campinas realiza pesquisa para avaliar impactos da Covid-19 entre os frentistas

Há mais de um ano atuando na linha de frente contra a Covid-19, os trabalhadores em postos de combustíveis estão entre as categorias que  registraram aumento de mortes no Brasil, segundo um levantamento exclusivo feito para o EL PAÍS pelo estúdio de inteligência de dados Lagom Data, com base em informações do Ministério da Economia.  Para mapear o impacto da doença, o Sindicato dos Frentistas de Campinas realiza a partir desta quarta-feira (14) até 4 de agosto uma pesquisa sobre as consequências da pandemia do novo coronavírus entre os trabalhadores de Campinas. O objetivo é dar visibilidade às atividades de trabalho como fontes de infecção e adoecimento pela covid, e obter informações sobre as  suas consequências clínicas e sociais da pandemia.   Coordenado diretor do Sinpospetro, Raimundo Nonato de Sousa ( Biro) e pelo Professor e Pesquisador Flávio Sartori, o questionário online  traz 10 perguntas referentes às sequelas da Covid na categoria.

O trabalhador responderá, por exemplo, se foi contaminado alguma vez e se teve colegas de trabalho e/ou  familiares atingidos  pela doença. A pesquisa será presencial e abrangerá um total de 500 trabalhadores e trabalhadoras, dentre o contingente de 1.800 frentistas que atuam na cidade de Campinas. Para Francisco Soares de Souza,  presidente do Sinpospetro,  a pesquisa é mais uma batalha a ser travada pela categoria contra a pandemia. “É muito importante para a direção do Sindicato conhecer de perto esses dados, os quais, futuramente serão compartilhados com as Federações da categoria e demais órgãos voltados para a saúde do trabalhador”, diz.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *