Federação Nacional dos Frentistas debate com dirigentes a conjuntura do país

Avaliar as consequências da reforma trabalhista para os frentistas e as medidas que deverão ser adotadas para proteger os direitos da categoria e manter acessa a luta dos sindicatos. Esses são os principais objetivos das reuniões itinerantes que o presidente da Federação Nacional dos Frentistas (FENEPOSPETRO) realiza pelo país.

O novo modelo de relação entre trabalhadores e empregados imposto pela Lei 13.467, também chamada de reforma trabalhista, preocupa os dirigentes dos frentistas em todo o país. Para traçar uma estratégia de luta em defesa dos direitos dos 500 mil trabalhadores de postos de combustíveis e lojas de conveniência, o presidente da Federação Nacional dos Frentistas (FENEPOSPETRO), Eusébio Pinto Neto, iniciou nesta quarta-feira(9) uma caravana pelo país. A proposta tem por objetivo levar aos dirigentes regionais dos frentistas esclarecimentos sobre a conjuntura político-econômica e as alterações no mercado, com a entrada em vigor, em novembro, da lei da reforma trabalhista.

O aumento do desemprego e a recessão econômica, aliados a retirada de direitos, vão reduzir o poder do trabalhador. Eusébio Neto afirma que as categorias mais organizadas terão chances de sobreviver aos ataques do capital. Por isso nesse momento, a sindicalização se faz necessária para garantir direitos básicos e fortalecer a categoria. Segundo ele, diante das mudanças impostas pelo governo, o sindicato só poderá representar o trabalhador associado.

Eusébio Neto iniciou a caravana pelo Sul do país, se reunindo ontem (9), em Porto Alegre, com dirigentes dos Sindicatos dos Frentistas do Rio Grande do Sul. No encontro, o presidente da federação reafirmou o compromisso da entidade de auxiliar na reestruturação e organização dos sindicatos da categoria. Segundo Eusébio Neto, a lei força uma reforma profunda nos sindicatos. Ele informou que os trabalhadores associados só podem ser representados pelo sindicato, dessa forma a associação é uma estratégia para o trabalhador resguardar os seus direitos.

Ele informou ainda que o corpo jurídico da FENEPOSPETRO elabora um estudo sobre todos os artigos da nova lei para blindar as negociações salariais nos estados. O presidente da Federação disse que para garantir os direitos dos trabalhadores de postos de combustíveis e lojas de conveniência, os Sindicatos dos Frentistas poderão fazer constar nas Convenções ou Acordos Coletivos o direito do funcionário só homologar na entidade de classe.

AGENDA

Os encontros regionais com os presidentes dos Sindicatos dos Frentistas serão retomados na próxima semana com visitas aos estados do Paraná, Minas Gerais e ao Distrito Federal. Eusébio Neto passa o dia hoje (10), em São Paulo, onde acompanha o sepultamento do filho mais novo do presidente da Federação dos Frentistas do Estado de São Paulo (FEPOSPETRO), Luiz Arraes. Amanhã, Eusébio Neto, que também é presidente do Sindicato dos Frentistas do RJ, estará no Rio de Janeiro.

*Estefania de Castro, assessoria de imprensa Fenepospetro

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *