FEPOSPETRO REPUDIA ASSÉDIO SEXUAL OCORRIDO EM POSTO DE COMBUSTÍVEIS

A Federação dos Frentistas de São Paulo – FEPOSPETRO – vem a público manifestar repúdio  ao caso de assédio sexual sofrido por trabalhadoras frentistas do “Auto  posto Mazochi”,  em Osasco, na grande São Paulo. Trazidas  pelo  pelo SBT, na edição do dia 7/1 do programa “Primeiro Impacto”, as  imagens do fato,  gravadas pelas próprias vítimas, mostram o homem, que tem  37 anos,   tentando  se passar por cliente  para então, na presença da frentista, praticar   atos  obscenos  e de  abuso sexual. De acordo com as duas trabalhadoras do posto, essa foi a quarta vez, num curto período  de tempo, que o sujeito praticou o mesmo tipo crime no local.  “Esse tipo de assédio contra as mulheres da categoria, infelizmente,  não é episódio  isolado, pelo contrário”, reconhece Telma Cardia, secretária da Mulher da FEPOSPETRO  e presidenta do Sinpospetro de Guarulhos.  O  presidente da FEPOSPETRO e do Sinpospetro de Osasco, Luiz Arraes,  lembra que as  mulheres representam cerca de 30% do contingente de quase quinhentos mil trabalhadores da categoria em todo o país, e destaca  que esse tipo de  conduta   é inaceitável em quaisquer espaços de sociedade, seja nas relações  de trabalho, nas ruas, ou em qualquer outro ambiente.

O caso, divulgado amplamente pelos canais de comunicação da Fepospetro, também  mobilizou  indignação do  presidente da Federação Nacional dos Frentistas e do Sinpospetro do Rio de Janeiro, Eusébio  Luís Pinto Neto. Em uma das  postagens  sobre o fato, ele  manifestou:  “As mulheres da nossa categoria são muito expostas,  as vezes com a  própria empresa, em alguns casos,  ”obrigando” as mulheres frentistas a usarem roupas que mostram  em demasia os seus  corpos.  Claro que nada justifica o crime, mas deve servir de alerta ao patrão que visando o lucro agi dessa forma. Vamos denunciar esses criminosos”, alertou.

A Fepospetro, que  repudia todo e qualquer tipo de assédio, seja ele sexual, moral, psicológico, virtual ou agressão física, estuda produzir uma cartilha contendo informações sobre o “Assédio Moral e Sexual no Ambiente de Trabalho, de forma a  oferecer aos trabalhadores e às trabalhadoras  informações e orientações sobre o assunto,  ajudando-os  na prevenção e no combate a este tipo de crime.

Veja aqui a matéria e o vídeo da denúncia: https://www.sbt.com.br/jornalismo/primeiro-impacto/noticia/158424-frentista-acusa-homem-de-assedio-sexual-em-sao-paulo

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *