Força Sindical convoca entidades a participar de paralisação nacional

A direção da Força Sindical orienta Confederações, Federações e Sindicatos filiados a preparar a paralisação nacional dia 28 de abril. A greve contra as reformas neoliberais de Temer é convocada por todas as Centrais e deverá ter, também, participação de entidades do movimento popular.

A “Convocação Geral” – assinada pelo presidente Paulo Pereira da Silva e o secretário-geral João Carlos Gonçalves (Juruna) – diz: “A direção da Força está totalmente empenhada no êxito das mobilizações do dia 28 de abril, que somente se transformará em realidade se todos assumirem as respectivas responsabilidades, com a organização das paralisações, greves e mobilizações das categorias”.

Juruna, secretário-geral da Força Sindical

Juruna – A Agência Sindical entrevistou o secretário Juruna. Ele informa:

• 1 milhão – “A Força Sindical e demais Centrais rodaram 1 milhão de exemplares de boletim unitário, que está sendo distribuído nas bases trabalhadoras, de diversas categorias, e também em outros locais de concentração popular”.

Clique aqui para baixar o panfleto

• Ampliar os apoios – “Para criar condições de uma greve geral efetiva, dia 28 de abril, precisamos ganhar apoios de outros setores sociais, como estudantes, movimentos, setor empresarial afetado pela crise, aposentados, donas de casas e população em geral. O boletim unificado ajuda nesse sentido”.

• Aliados – “Nossa orientação é de que os dirigentes procurem prefeitos, deputados, vereadores, associações de classe, OAB e outras entidades, a fim de explicar o caráter nocivo das reformas e ganhar aliados à nossa luta e à paralisação”.

Papel histórico – “É importante defender direitos e conquistas. Mas devemos, também, junto a setores não-sindicais, mostrar que o sindicalismo é uma força ativa e decisiva para um projeto de desenvolvimento nacional e fortalecimento do mercado interno”.

Igrejas e outros – “Esse esforço de ganhar apoios além da base trabalhista, deve incluir as igrejas, de todos os credos, e também tratativas com órgãos públicos ligados ao trânsito e à segurança pública”.

Apelo – “Quanto à paralisação do dia 28, devemos pedir às pessoas que não saiam de casa, que cancelem compromissos, que evitem deslocamentos”.

Renan – “O enfrentamento das reformas não pode abrir mão da ação parlamentar. A Força Sindical convidará o senador Renan Calheiros para dialogar com os sindicalistas em nossa sede. Renan tem adotado posições que podem ajudar a luta dos trabalhadores”.
Via Agência Sindical

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *