Nova diretoria da Fenepospetro toma posse

– Confira como foi a posse da nova diretoria da Federação Nacional dos Frentistas –

 

Em cerimônia virtual realizada nessa quarta-feira (9/12), tomou posse para o mandato 2020-2024 a nova diretoria da Federação Nacional dos Frentistas (Fenepospetro), eleita democraticamente em eleição realizada no dia 26/11.

 

O presidente reeleito, Eusébio Pinto Neto, agradeceu a todos pela participação e lamentou a impossibilidade de uma posse presencial, devido ao recrudescimento da pandemia de covid-19. Ele lembrou que o movimento sindical passa por um momento difícil, sem perspectivas de melhora no curto prazo. No qual, com a exceção de alguns poucos sindicatos mais bem estruturados, muitas entidades já fecharam as portas ou estão sem capacidade de representar os trabalhadores. Situação ainda mais crítica para as entidades de 2º e 3º graus, as federações e confederações, que enfrentam graves dificuldades de financiamento.

 

Para o presidente Eusébio, apesar do momento difícil, é preciso manter o ânimo para encarar a luta, com a consciência de que as mudanças favoráveis aos trabalhadores só virão por meio da política. Nesse sentido, saudou os sindicalistas que disputaram e venceram as últimas eleições municipais.

 

O presidente cobrou ainda ações práticas dos mais de 50 sindicatos filiados à Federação. “Precisamos assumir compromissos com essa categoria para que ela tenha sustentabilidade. Para fazer a transformação na prática, precisamos de ação política na base, indo à greve e às últimas consequências se for necessário. Não podemos passar a percepção de que nossos sindicatos perderam a capacidade de enfrentamento”, explicou o dirigente, que é também presidente do Sindicato dos Frentistas do Rio de Janeiro (Sinpospetro-RJ).

 

Unidade na luta – “Nossa resiliência e união vão nos fortalecer”, pontuou o presidente do Sindicato dos Frentistas de Niterói (RJ), Alexsandro dos Santos Silva, empossado novo secretário de Relações do Trabalho e de Políticas de Qualificação Profissional. “A união é o nosso combustível para lutar e ter conquistas frente a esse governo que quer destruir o movimento sindical”, acrescentou o presidente do Sindicato dos Frentistas de Curitiba (PR), Lairson Sena de Souza, novo secretário de Negociação Coletiva da Fenepospetro.

 

“Com inteligência, unidade e atuação política, vamos conseguir superar esses momentos de adversidade e sair mais maduros e sábios para melhor representar os trabalhadores”, complementou o presidente do Sindicato dos Frentistas do Ceará (Sinpospetro-CE), Ardilis Arrais, novo secretário de Assuntos Jurídicos e Legislativos da Federação.

 

Já o secretário-geral adjunto da Federação, Wellington Bezerra, lembrou que agora, empossada a nova diretoria, poderá ser encaminhado o processo de unificação da Fenepospetro com a Federação dos Frentistas de São Paulo (Fepospetro). “A unidade é fundamental para conquistarmos vitórias para os trabalhadores”, pontuou o dirigente, que é também presidente do Sindicato dos Frentistas do Espírito Santo (Sinpospetro-ES).

 

Essenciais para o país – Quero destacar a coragem, o denodo e o desprendimento dos companheiros dessa direção. Ser dirigente, seja de sindicato, federação ou confederação, nesse momento em que o governo central se esforça para destruir todas as entidades dos trabalhadores, é um ato de coragem”, elogiou o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Postos de Combustíveis do Rio Grande do Sul (Sintrapostos-RS), Ângelo Martins.

 

O dirigente gaúcho lembrou que em todos os mais de cinco mil municípios brasileiros, em muitos dos quais “não há hospital ou cinema”, sempre há postos de gasolina e frentistas. E que esses trabalhadores, considerados essenciais para manter a economia nacional em movimento, devem ter prioridade na vacinação contra a covid-19: “Todos batem palmas para os profissionais da saúde, mas também precisamos aplaudir os frentistas. Nada mais justo que os trabalhadores de postos estejam entre os primeiros vacinados”.

 

Por fim, o presidente Eusébio Pinto Neto avisou que no início de janeiro será agendada a primeira reunião da nova diretoria, que terá como pauta a definição do calendário de lutas da categoria para 2021.

9 de dezembro de 2020

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *