Sindicato apoia frentista no tratamento médico de alto custo da filha

A ajuda do Sinpospetro -Campinas tornou possível ao frentista associado da entidade, Ivanildo de Freitas, 38, finalmente dar início ao tratamento médico para conter, na filha de onze anos, o avanço do vitiligo, doença caracterizada pelo aparecimento de manchas brancas na pele em áreas como cotovelos, joelhos e face, além de mãos e pés: “Se em adultos o vitiligo costuma causar vergonha e diminui a autoestima, na criança o efeito psicológico é pior”, analisa. Francisco Soares de Souza, presidente do Sinpospetro-Campinas. A ajuda da entidade, viabilizada a partir de parceria firmada com a clínica JG Centro de Fototerapia, encerrou a saga de um ano da família da criança junto ao SUS ( Sistema único de Saúde), onde o tratamento, enquadrado como de alto custo, tem fila de espera de cerca de 12 meses.
De acordo com Ivanildo, já é visível o desaparecimento de parte das manchas na pele da criança, mesmo ela não tendo ainda completado o total de quinze sessões do pacote custeado pelo sindicato. Segundo Solange Dolla, responsável administrativa da clínica JG, o bom resultado deve-se à tecnologia de ponta do equipamento e método utilizados, os quais consistem na exposição da pele à luz ultravioleta com o objetivo de cessar o aumento das lesões e recuperar a função da célula responsável pela produção de melanina no corpo: “Além disso, – explica ela-,crianças tendem a responder melhor aos tratamentos, quando comparada com os adultos. Ainda de acordo com a profissional, o diagnóstico da dermatologista da clínica, ao final do tratamento, definirá questões relativas à necessidade e periodicidade das sessões pela filha do frentista. Responsável por levar o caso ao Sinpospetro Campinas, o diretor da subsede de Americana, Francisco Jr. Tavares Correa, conta que no sindicato prosseguem as tratativas junto à clínica JG para tentar viabilizar a permanência do custeio – ou parte dele-, pela entidade, à eventual demanda por continuidade do tratamento: “Essa é uma situação que evidencia o empenho do sindicato para manter ativa a sua função social, mesmo diante das dificuldades financeiras impostas a nós e às demais entidades pelos recentes ataques do governo de Jair Bolsonaro”, pontua.
O *vitiligo: Embora não-contagiosa, é uma doença estigmatizante e afeta psicologicamente seus portadores. Caracterizado pela perda da pigmentação da pele, o vitiligo acomete cerca de 0,5% da população mundial. As causas ainda são desconhecidas, mas já se sabe que fatores emocionais podem desencadear ou agravar essa doença autoimune.

* Fonte: BVS Atenção Primária em Saúde

Leila de Oliveira – Assessoria de Imprensa Sinpospetro-Campinas

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *