Temer mente, diz líder frentista

O ex-presidente Michel Temer publicou artigo na Folha de S. Paulo domingo (9) em defesa da reforma trabalhista, aprovada em seu governo. Para ele, as críticas são injustas, uma vez que essa foi uma “substancial modernização do País”.

Luiz Arraes, presidente da Federação dos Frentistas do Estado de São Paulo, pensa o contrário. Temer, diz Arraes, mente quando diz que os direitos da classe trabalhadora não foram atingidos. “A reforma mexeu nos direitos dos trabalhadores e piorou muito”, ele afirma.

Segundo o sindicalista, o ex-presidente e sua base aliada sequer discutiram a reforma. “Temer diz que o ministro do Trabalho à época, Ronaldo Nogueira, percorreu durante meses todas as associações de empregados e de empregadores pra dialogar sobre o tema. Mentira. Nunca debateu com ninguém. Aprovaram a reforma trabalhista a toque de caixa”, denuncia o líder da Fepospetro.

“Michel Temer retirou um monte de direitos da classe trabalhadora, desmontou o movimento sindical e não gerou empregos, como havia prometido. Na prática, não houve qualquer benefício para o trabalhador. Só precarização e arrocho”, ele diz.

Saída – Para Luiz Arraes, os trabalhadores precisam ter uma participação mais ativa na eleição deste ano. Segundo o dirigente frentista, é preciso eleger deputados e senadores que tenham projetos aliados ao sindicalismo pela melhoria nas relações de trabalho.

O presidente da Fepospetro conclui: “Tudo depende do povo. Se elegermos um Congresso comprometido com os interesses da classe trabalhadora, poderemos desfazer a reforma trabalhista, assim como acaba de ser feito na Espanha”.

MAIS – Clique aqui e leia Nota das Centrais pró-revogação da reforma neoliberal de Temer. Acesse os sites da Fepospetro e Fenepospetro.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *