Centrais promovem festas do Dia do Trabalhador em clima de protesto

As comemorações do 1º de Maio, logo após a realização da maior greve geral dos últimos tempos, foram marcadas por protestos contra o governo de Michel Temer. A CUT, CTB e Intersindical, fizeram uma comemoração conjunta, apesar das dificuldades impostas pela prefeitura de São Paulo que tentou proibir a festa na avenida Paulista.

O evento, que começou na Paulista e seguiu em passeata até chegar à Praça da República, na região central, reuniu aproximadamente 200 mil trabalhadores. O ato na praça, com palco montado para apresentações musicais, prosseguiu até à noite. Além do movimento sindical, a comemoração contou com participação das frentes Povo sem Medo e Brasil Popular.

Vagner Freitas, presidente da CUT, afirmou que a greve geral da sexta (28), que paralisou 40 milhões de trabalhadores em todo o Brasil, mostrou apoio popular e reprovação da sociedade contra as “reformas” da Previdência e trabalhista. Para o presidente da CTB, Adilson Araújo, o momento é de reforçar a resistência contra as propostas ultraliberais do governo.

A festa da Força Sindical, na Praça Campo de Bagatelle, zona norte da capital paulista, contou com a participação de 700 mil trabalhadores. O presidente da Central, deputado federal Paulo Pereira da Silva (Paulinho), também aproveitou o momento para criticar as reformas de Temer e reiterar que novas paralisações devem ser realizadas. “Se o governo não entendeu, vai ter mais”, afirmou.

O ato da CSB, no Sambódromo do Anhembi, também na região norte, teve mais críticas a Temer. “Essa reforma trabalhista vai acabar com os direitos históricos dos trabalhadores, com a Justiça do Trabalho e com o Ministério Público”, disse o presidente da central, Antonio Neto.

A Nova Central comemorou a data em Brasília, realizando uma meia maratona que movimentou a Esplanada dos Ministérios. “Esse é um momento de festa, os trabalhadores mereciam essa homenagem. Ano que vem esperamos receber mais de cinco mil inscritos”, observou o presidente Calixto Ramos.

A largada da “1ª Meia Maratona Nova Central” foi na Esplanada dos Ministérios (rua das Bandeiras, em frente ao Congresso Nacional), passou por monumentos históricos da cidade, parte do Eixo Norte e terminou no mesmo local de partida.
Via : Agência Sindical

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *